domingo, 16 de dezembro de 2012

O Começo de uma Nova Vida - O Ano Jubileu


“O Espírito do SENHOR Deus está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados” (Isaías 61:1).

Esta profecia se cumpriu na vida de Jesus quando ele veio ao mundo para trazer as boas novas da salvação, a trazer libertação aos cativos e oprimidos, restaurar a visão dos cegos (Lucas 4:16-21). Jesus pagou nossas dívidas, ele veio ao mundo para nos comprar pelo seu sangue. O contexto dessa passagem é  “o Ano do Jubileu” descrito em Levítico 25. A cada sete anos, os judeus deviam observar o “ano sabático” e deixar a terra descansar. Depois de sete anos sabáticos, ou seja, quarenta e nove anos, deviam comemorar o qüinquagésimo ano como o “ano jubileu”. Nesse ano, todas as dívidas eram canceladas, todas as terras eram devolvidas a seus proprietários originais, os escravos eram libertos e todos podiam RECOMEÇAR. 
Aquele que crer em Jesus Cristo como seu Salvador, pode viver dias semelhantes ao “Ano Jubileu”, sendo liberto da escravidão de todo tipo de pecado, suas dívidas (espirituais/materiais) podem ser perdoadas e pagas, e começar a viver uma nova vida.
A sua posteridade será conhecida entre as nações, os seus descendentes, no meio dos povos; todos quantos os virem os reconhecerão como família bendita do SENHOR(Is 61:9).
 Deus é o único que pode resgatar nossas vidas e nossas famílias, porque Ele nos ama.

O Ano Jubileu – O parente Resgatador
Levítico 25:23-28 “Também a terra não se venderá em perpetuidade, porque a terra é minha; pois vós sois para mim estrangeiros e peregrinos. Portanto, em toda a terra da vossa possessão dareis resgate à terra. Se teu irmão empobrecer e vender alguma parte das suas possessões, então, virá o seu resgatador, seu parente, e resgatará o que seu irmão vendeu. Se alguém não tiver resgatador, porém vier a tornar-se próspero e achar o bastante com que a remir, então, contará os anos desde a sua venda, e o que ficar restituirá ao homem a quem vendeu, e tornará à sua possessão. Mas, se as suas posses não lhe permitirem reavê-la, então, a que for vendida ficará na mão do comprador até ao Ano do Jubileu; porém, no Ano do Jubileu, sairá do poder deste, e aquele tornará à sua possessão”.

As conseqüências de uma vida em desobediência - 2 Cr 36:21 “Para que se cumprisse a palavra do SENHOR, por boca de Jeremias, até que a terra se agradasse dos seus sábados; todos os dias da desolação repousou, até que os setenta anos se cumpriram”.
Isso significa que, durante quase quinhentos anos sabáticos (490 anos), os israelistas desobedeceram à lei de Deus sobre este ano. O povo de Israel infelizmente não cumpriu os estatutos estabelecidos por Deus para viverem seguros em sua terra “Observai os meus estatutos, guardai os meus juízos e cumpri-os; assim, habitareis seguros na terra (Lv 25:18), eles tinham conhecimento, mas não guardaram a palavra em seus corações. Em nossas vidas não é nem um pouco diferente. Quantas coisas temos ouvido e aprendido, mas não as observamos da maneira correta e deixamos de cumpri-las em nossas vidas. A Palavra de Deus não é um amuleto da sorte como muitos pensam, ela é para ser cumprida, para ser vivida aonde quer que estejamos. Quando o povo de Judá foi levado para o cativeiro eles ficaram por lá setenta anos por não observarem a lei de Deus.
Que elementos estavam envolvidos na lei do Ano Jubileu? (Levítico 25).

  • ·         Arrependimento
  • ·         Libertação
  • ·         Descanso (Fé)
  • ·         Restauração

Arrependimento (v9): Então, no mês sétimo, aos dez do mês, farás passar a trombeta vibrante; no Dia da Expiação, fareis passar a trombeta por toda a vossa terra”.
O Ano Jubileu começava no dia da Expiação. Eles não deviam entrar no Ano Jubileu sem antes terem sido perdoados e purificados pelo Senhor.

Libertação (v. 10): “Santificareis o ano qüinquagésimo e proclamareis liberdade na terra a todos os seus moradores; ano de jubileu vos será, e tornareis, cada um à sua possessão, e cada um à sua família”.
Haveria liberdade na terra a todos os seus moradores. Deus não queria ver seus filhos sendo escravos por toda vida. Então aqueles que haviam adquirido as terras de seus servos por motivos de dívida, eram libertos  para que voltassem as suas famílias. Penso eu que eles provavelmente não comemoravam o Ano Jubileu exatamente por causa deste elemento, pois quem gostaria de devolver suas terras aos seus servos? Ainda mais por motivos de dívidas? E ainda tinham que aprender a perdoar seus irmãos. O povo judeu era um povo bem sucedido, tinham servos, escravos ao seu dispor, mas por causa da sua rebeldia e negligência da palavra, foram servir outros povos e se tornaram escravos por muitos anos. Ex: Filme “A lista de Schindler”.

Descanso (v. 11,12): “O ano qüinquagésimo vos será jubileu; não semeareis, nem segareis o que nele nascer de si mesmo, nem nele colhereis as uvas das vinhas não podadas. Porque é jubileu, santo será para vós outros; o produto do campo comereis”.
Neste ano o povo era proibido de realizarem suas atividades agrícolas e tinham que viver daquilo que a terra produzisse. Era necessário que confiassem no Senhor, pois teriam que ter Fé, crer que Deus supriria alimento suficiente por três anos. A terra descansaria no sétimo ano, isso quer dizer que no sexto ela produziria três vezes mais que um ano normal, pois eles voltariam a plantar e semear somente no oitavo ano para assim colherem no nono ano.

Restauração (v. 13): “Neste Ano do Jubileu, tornareis cada um à sua possessão”.
Qualquer propriedade que tivesse sido vendida desde o Ano Jubileu anterior deveria voltar ao seu proprietário original. Deus queria ver seus filhos cuidando dos seus negócios, cultivando suas propriedades para cuidarem bem de suas famílias. O propósito de Deus era dar estabilidade a economia e que não houvesse a famosa “desigualdade social” que tanto vemos nos país em que vivemos hoje. Pois tudo é dele, somos apenas mordomos, peregrinos e estrangeiros nesta terra, temos que aprender a cuidar daquilo que Ele tem nos dado, e não acharmos que o que temos é nosso e que vamos levar alguma coisa daqui quando morrermos.

DEUS PROMETEU QUE DARIA RESGATE A “TERRA” (SUA VIDA)

Jesus é o nosso resgatador - Isaías 43:1,4  “ Mas agora assim diz o SENHOR, que te criou, ó Jacó, e que te formou, ó Israel: Não temas, porque eu te remi; chamei-te pelo teu nome, tu és meu. Visto que foste precioso aos meus olhos, digno de honra, e eu te amei, darei homens por ti e os povos, pela tua vida
A palavra traduzida por “remir” é o termo hebraico para parente resgatador, alguém próximo que poderia remir pessoas da família da escravidão e resgatar suas propriedades mediante o pagamento de suas dívidas.
Deus prometeu que daria resgate a “terra”, porque sua vida é muito preciosa aos seus olhos, ele disse que você é Dele, por isso ele enviou seu filho para te SALVAR, REMIR, RESGATAR e PAGAR todas as suas dívidas.  Jesus veio ao mundo para ser o nosso resgatador, o resgatador de nossa família, para vivermos em liberdade, restaurados para sermos “família bendita do Senhor”. Viva o verdadeiro Espírito do Natal em sua casa em sua vida!  
“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” (Isaías 9:6). 



Aqui termina sequência dos três estudos: “Edificando as antigas Ruínas”







Deus prometeu que plantaria novamente seu remanescente na terra e eles voltariam a lançar suas raízes e dar seus frutos por cima.
Deus deu um sinal, e prometeu que ajudaria seu povo a sair da situação em que se encontravam.
Deus prometeu que daria resgate a terra (sua vida), salvando, remindo, resgatando e pagando todas as dívidas através de Jesus Cristo. O Ano Jubileu em sua vida.
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pedir perdão em vez de pedir desculpas

Pedir desculpas é bíblico? Não! Pedir desculpas não resolve completamente a ofensa, pois duas pessoas podem sair de uma conversa sem sab...