segunda-feira, 1 de abril de 2013

Está também Saul entre os profetas?

1 Samuel 10:12 e 1 Samuel 19:24
 

Em virtude dos acontecimentos atuais que tomei conhecimento e que infelizmente vem afligindo nossas famílias dentro da igreja porque se deixam levar por filosofias de homens que se dizem “Profetas e Apóstolos” e que falam em nome dos “evangélicos”, resolvi fazer um breve relato de alguns trechos da história de Saul no livro de 1º Samuel capítulo 8, 10 e 19. No final deste estudo veremos o que Deus quer nos ensinar em sua palavra sobre essa questão.
Quando estudamos a história do rei Saul, ficamos decepcionados em ver como um homem escolhido para governar Israel, ungido de Deus, se tornou orgulhoso e independente perdendo seu reinado e sua vida de forma humilhante.
O povo de Israel era a nação que tinha Deus como seu Rei e Senhor, porém, eles rejeitaram a Deus e pediram um rei que os governasse (1 Sm 8:6-7). Eles queriam ser iguais as outras nações e por isso disseram NÃO a Deus (1 Sm 8:19-20).
Quando Samuel ungiu a Saul rei de Israel ele lhe deu alguns sinais para que o jovem Saul tivesse certeza de que ele realmente era o escolhido de Deus. O capítulo 10 nos relata três sinais, e vamos estudar somente o terceiro sinal.  O Terceiro sinal era associado ao poder espiritual (1 Sm 10:5-6). Saul encontraria um grupo de profetas voltando de uma cerimônia de adoração, os quais estariam profetizando, neste momento o Espírito Santo viria sobre Saul e ele também se juntaria aos profetas e passaria a profetizar com eles. Quando Saul deixou Samuel e voltou para sua casa muitos viram que ele profetizava e ficaram espantados, pois não esperam ver Saul ter esse tipo de experiência, pois ele era uma pessoa mundana, não espiritual. E por ser algo incomum de ser ver, surgiu a pergunta pelo que se tornou em provérbio: “Está também Saul entre os profetas?” (1 Sm 10:11-12). É claro que Saul poderia ter vivido essa experiência maravilhosa e continuado a alimentar esse relacionamento com o Senhor sua vida inteira, mas infelizmente ela não terminou assim.
Quando Deus levanta um líder ele é provado, e Saul foi reprovado em seu teste. Saul preferiu oferecer sacrifícios para Deus a obedecer a sua palavra (1 Sm 13:1-2, 14 e 1Sm 15:22). Deus queria um homem que o servisse em obediência e confiança, em total dependência dele. Saul mostrou-se arrogante e orgulhoso, totalmente independente de Deus, não reconhecia seus erros e agia conforme sua vontade.
Como Saul foi reprovado diante de Deus para ser Rei de Israel, Deus levou Samuel a até Davi para ungi-lo. Saul começa a ter inveja de Davi, pois o espírito de Deus estava com ele (1 Sm 16:12-13), e por isso Davi inicia suas conquistas contra os exércitos inimigos, suas vitórias traziam grandes alegrias para o povo de Israel o que deixou Saul mais indignado ainda. (1 Sm 18:8).
Saul agora tenta matar Davi por várias vezes. No texto de 1 Samuel 19:18-24  Davi foge para Ramá junto de Samuel na casa dos profetas. Nesta passagem vamos ver que Saul e seus mensageiros profetizam. A palavra profetizar é citado seis vezes. O termo hebraico traduzido por “profetizar” pode significar “entoar cânticos e louvar a Deus” e também “prenunciar acontecimentos”. Quando Saul ficou sabendo que Davi se encontrava na casa dos profetas em Ramá, ele enviou mensageiros para trazerem Davi. O rei enviou três grupos diferentes de soldados para prender Davi, mas quando estes chegavam ao lugar onde os profetas estavam reunidos, eram imediatamente tomados pelo Espírito e começavam a louvar e adorar a Deus, ou seja, “profetizar”. Os três grupos fracassaram, de modo que Saul decidiu ir pessoalmente a Ramá. Quando chegou até o lugar indicado novamente o Espírito de Deus também veio sobre ele, levando-o a adorar e louvar (profetizar) ao Senhor. Note que esta experiência de Saul foi muito parecida com a que ele teve logo depois que foi ungido rei por Samuel. Foi nesta ocasião que veio o ditado: “Está também Saul entre os profetas?”, e pelo que vimos nesta passagem o provérbio voltou a tona (1 Sm 19:24).
Não podemos esquecer que o intuito de Saul e seus mensageiros irem até Davi era de prendê-lo e matá-lo, ou seja, destruir Davi e a ameaça que ele representava para o seu trono.
Este pequeno resumo agora vai nos ajudar a entender como estes homens surgem com outras intenções dentro das igrejas para destruir famílias e manipularem as pessoas a acreditarem em suas profecias.
Vimos no estudo que Saul passou por dois acontecimentos parecidos em sua vida, e que provam que uma pessoa pode ter experiência religiosa extraordinária e, ainda sim, não passar por uma transformação de caráter. Geralmente esse tipo de gente quer receber o louvor que é devido a Deus, desejam ter poder e amam o dinheiro e tudo aquilo podem comprar com ele. No caso de Saul, as duas experiências vieram do Senhor, porém ele não se beneficiou delas. Manifestações religiosas especiais não indicam, inequivocadamente, que uma pessoa seja sequer salva.
 “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que estás nos céus. Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade” (Mt 7:21-23).
Outro exemplo é Judas, este também pregou sermões e até realizou milagres (Mt 10:1-8), no entanto jamais creu em Jesus (Mt 6:67-71) e traiu o Senhor, cometendo suicídio em seguida.
O que me deixa mais triste é ver pessoas sendo enganadas, manipuladas por pessoas que sequer conhecem a Deus e dizem trazer uma mensagem do Senhor. O pior são as igrejas que cedem seus púlpitos para essas pessoas que estão sendo enviadas para destruir a igreja, as famílias que ali freqüentam. Tudo isso para trazerem o movimento, o barulho que tanto atrai as pessoas, estão agindo semelhantemente ao povo de Israel quando rejeitaram a voz de Deus e seus mandamentos porque preferiam ver um rei a crer em um Deus invisível. A falta de fé, confiança e dependência de Deus é que faz com que as igrejas queiram fazer esses movimentos para atrair mais pessoas. Deixam-se iludir com todas essas “profecias” que não provém de Deus trazendo confusão e não paz para as pessoas.
O dever básico de um verdadeiro profeta no antigo testamento era anunciar a mensagem de Deus ao povo no contexto histórico devido. Sua função jamais foi predizer o futuro para satisfazer curiosidades pessoais, eles eram pregadores, expunham e interpretavam a lei mosaica para a nação. Eles tinham o dever de admoestar, reprovar, denunciar o pecado, chamar ao arrependimento e trazer consolo e perdão. Os profetas bíblicos chamavam as pessoas não para o ritual, mas para a santidade. Ao contrário do que a bíblia ensina, os que se dizem profetas hoje, ou seja, os falsos profetas não se importam com a santidade da igreja e muito menos em exortar.
Muitas vezes em nossas vidas agimos dessa forma, é mais fácil ouvirmos e confiarmos em homens do que sujeitarmos a um Deus invisível e confiarmos em seus mandamentos que são Maravilhosos.
“Para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para o outro e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro. Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo” (Efésios 4:14).
“Admira-me que estejais passando tão depressa daquele que vos chamou na graça de Cristo para outro evangelho, o qual não é outro, senão que há alguns que vos perturbem e querem perverter o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema. Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema” (Galatas 1:6-9).
“Porque os tais são falsos apóstolos, obreiros fraudulentos, transformando-se em apóstolos de Cristo. E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz” (2 Co 11:13-14).
Paulo também alertou a igreja sobre isso, ele ainda diz que mesmo que apareça um anjo pregando um evangelho que não seja o que ele pregava, ou seja, o verdadeiro evangelho que foi esquecido por muitos hoje, que seja maldito. Paulo falava da parte de Deus. 

Confie e espere somente no Senhor e em sua PALAVRA, porque Deus não é homem que possa mentir, pois ele cumpri o que diz e faz o que promete. Ele é Deus e não homem!

4 comentários:

  1. Ótimo texto cara!

    Concordo 100% e é o que eu sempre falo.
    Nas igrejas ultimamente tem havido um fenômeno que chamo de "terceirização de decisões", que é o fato de alguma pessoa não ter a certeza espiritual baseada em suas próprias experiências e dessa maneira prefere se afastar da responsabilidade de tomar alguma decisão permitindo assim o oportunismo desses pseudo-profetas, que se dizem vindo de Deus, trazendo profecias encomendadas e que beneficiam apenas seu próprio ego.

    Esse texto que você escreveu é exatamente o que penso.
    Não lembro quem disse, mas "o maior profeta de todos é a Palavra."

    Um grande abraço

    Helio

    PS: Não tive a oportunidade de dar os parabéns por vocês serem pais! Parabéns!! Deus abençoe!!

    ResponderExcluir
  2. Bela postagem. Continue nessa força varão!

    ResponderExcluir
  3. Forte estudo bem interessante devíamos tomar muito cuidado com quem vem a nossas igrejas prega nos púlpito pq hj o povo por qualquer motivo dar glória as vezes o pregado tá amaldiçoando a igreja e por não examinar as escrituras estão deixando se levar por vento de doutrina

    ResponderExcluir

Pedir perdão em vez de pedir desculpas

Pedir desculpas é bíblico? Não! Pedir desculpas não resolve completamente a ofensa, pois duas pessoas podem sair de uma conversa sem sab...