domingo, 2 de junho de 2013

Conhecendo a Natureza de Cristo – Parte II


Este mês estudaremos a Pessoa e obra de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele é o Mediador da Nova Aliança, do pacto da Graça (Hebreus 9: 15 e 12:24). Cristo é o mediador entre Deus e o homem sendo uma só pessoa. Como assim uma só pessoa? Cristo é Deus e homem ao mesmo tempo (1 Tm 3:16). Ele possui duas naturezas:
1.       Cristo é verdadeiramente Deus (Natureza Divina).
2.       Cristo é verdadeiramente humano (Natureza Humana).
Há nele duas naturezas, divina e humana, porém, Cristo é uma só pessoa. Vimos nos estudos anteriores que o homem foi incapaz de render obediência completa a Deus, por isso foi necessário que o nosso Redentor fosse Deus, porque só Deus é capaz de Salvar, e vencer o poder do pecado trazendo vida eterna aos pecadores. Cristo também precisou assumir uma natureza humana real, pois sem ela não poderia existir salvação, pois quem pecou foi o homem, portanto somente um homem poderia ser substituto da humanidade (1 Timóteo 2:5). Jesus sentiu sede, fome, cansaço, tristeza, e muitos outros tipos de sentimentos. Por isso Ele nos conhece melhor do que ninguém, temos um amigo verdadeiro que nos compreende e sabe das nossas dificuldades. “Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas SEM PECADO” (Hebreus 4:15). Só uma natureza divina sustentaria uma natureza humana impedindo-a de pecar. E ao mesmo tempo só uma natureza humana seria capaz de substituir o homem em sua necessidade de obediência a Deus.
Cristo realizou sua obra aqui na terra, num “Estado de Humilhação”. Este estado consistiu no fato dele assumir uma natureza humana na forma de servo e tendo que se submeter às exigências da lei. “Antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até a morte e morte de cruz” (Filipenses 2:7-8). Existe uma frase muito conhecida que diz que, “Todo homem quer ser rei, todo rei quer ser deus, só Deus quis ser homem” (Galileu Galilei). Não existe amor igual a esse. Ele foi odiado pelos seus inimigos enquanto viveu aqui na terra, foi traído por Judas, e abandonado pelos seus discípulos, escarnecido e rejeitado pelo mundo (Isaías 53:3). Ele teve de ser tratado pelo próprio Deus como se fosse um pecador (Salmos 22:1). Ele foi firme até o fim, cumpriu sua missão, e por causa da sua justiça e do seu amor ele se entregou por nós naquela cruz que deveria ser nossa. Este é o verdadeiro herói, o verdadeiro homem, o verdadeiro Deus, e seu nome é JESUS! Tendo cumprido a penalidade da lei, Ele é coroado em Glória. E agora o vemos em seu “Estado de Exaltação”, ele ressuscitou, a ressurreição de Cristo foi corporal e sua ascensão também foi corporal e visível. Ele assumiu sua glória, seu poder, sua autoridade, assentando-se a Direita do Pai e também intercede por nós (Rm 8:34). E da mesma forma como subiu ao céu ele voltará. Teremos a segunda vinda de Cristo aqui na terra com todo o seu poder e glória (Mt 24:30). Seus filhos também ressuscitarão com um corpo incorruptível e serão semelhantes a Cristo (1 João 3:2-3). Esta será a vitória final de Cristo e sua Obra Redentora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

À procura da Felicidade

Em 2006 um filme estrelado por Will Smith retratou a história real da vida de Chris Gardner, um empresário norte-americado, investidor...