quinta-feira, 3 de março de 2016

Os prejuízos causados pela pornografia em nossos lares - Parte III



Muitas pessoas ao lerem estes artigos sobre os prejuízos causados pela pornografia em nossas famílias e sociedade, devem se perguntar o que isso tem de mal, se vivemos em uma era pós-moderna onde o mais importante é o amor? Por que falar que o sexo antes do casamento é errado, a masturbação e a pornografia é algo prejudicial para minha vida se isso me traz tanto prazer? Será que esse cara não é do tempo dos nossos avós, dos nossos antepassados? Isso não é papo careta de uma pessoa moralista?
A ética e a moral estão presentes desde o início da história da raça humana. O homem foi criado para tomar decisões, interagir com outras pessoas, fazer escolhas, praticar sua “liberdade”. O homem foi criado para manter relação pessoal com o seu Criador. O coração do homem é fundamentalmente religioso, sua essência é ser para Deus. O pecado trouxe separação entre Deus e o homem, e por este motivo o ser humano perdeu seu livre-arbítrio. Sua condição pecaminosa o impede de buscar o bem por seu esforço pessoal. Todos são concebidos em pecado (Sl 51:5), e por isso tendem a ser rebeldes em relação a Deus e a sua Palavra, e tentam ver o mundo totalmente sem um Senhor para não o glorificar (Rm 1:21).
Hoje nosso modo de ver e de viver a vida tem grandes influencias da filosofia grega antiga. Na idade antiga Sócrates e Platão definem o ser humano como autônomo, capaz de criar seus próprios valores decorrentes da razão. Na idade moderna Baruch Espinosa (1632-1677) admite que o homem é verdadeiramente livre para fazer o bem, para ele a moral está ligada somente à religião e a ética não tem relação com obrigações e deveres. Immanuel Kant (1724-1804) afirma que a existência de Deus não pode ser provada. Como a moral cristã baseia-se na verdade absoluta da existência de Deus ele e a considera inadequada, pois viola a própria liberdade humana. Kant admite que o homem, como ser racional, tem condições de fazer sua própria ética e a lei moral é gerada pela razão e não pelos princípios absolutos das Escrituras. Enfim, o homem não está sujeito a nenhuma autoridade divina, senão a si mesmo. Na idade contemporânea Jean Paul Sartre (1905-1980), ateu declarado, admite que não há Deus, não há Criador. Para ele o ser humano não está sujeito a qualquer regra absoluta, ele diz que o ser humano “não pediu para nascer”, pois o homem foi lançado neste mundo para viver em liberdade.
Você pode ter vivido muitos anos sendo influenciado pelos pensamentos destes homens sem saber disso, porém hoje quero lhe dizer que Deus pode mudar seu modo de ver e de viver a vida assim como Ele mudou minha percepção da vida e meu modo de viver (Sl 19:7-14). “Eis que faço coisa nova, que está saindo à luz; porventura, não percebeis? ” (Is 43:19). Eu pensava que podia conviver com a pornografia e ao mesmo tempo ter comunhão com Deus, e isso era uma mentira (1 Jo 1:6). Esse pensamento me levou a praticar relações sexuais pré-conjugais (fornicação; At 15:20,29), algo que deveria ter sido reservado dentro do casamento para ser experimentado em comunhão com um Deus santo, foi antecipado por causa de um apetite sexual distorcido pelas imagens da pornografia. Cristo ensinou-me a enxergar de novo, a andar de novo, purificou-me de toda sujeira, fez-me ouvir sua voz outra vez, e me deu a maior riqueza que um homem pode encontrar nesta vida, a santidade em Cristo, um novo modo de viver que glorifica o Deus criador (Lc 7:22-23; Mt 11:5-6).
Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça” (Rm 6:14). Sua graça, longanimidade e misericórdia concederam a minha vida forças para recomeçar (Sl 86:15,16). Foi aí que então Ele ouviu minhas orações e concedeu-me uma esposa, companheira fiel, diligente e esforçada, vigorosa e ativa, que demonstra sabedoria no modo de falar e que teme a Deus. Este mês o Senhor nos presenteará com um segundo filho.
Jesus apresenta duas alternativas que sua presença põe diante de você. Ou você se quebranta por decisão pessoal diante dele ou será quebrantado e humilhado. Ou se joga na rocha com seu orgulho e presunção, esmagando a ambos, ou a mesma rocha cairá sobre você, reduzindo-o a pó (Mt 21:44).  
A ética Cristã fornece real sentido à existência humana, visto que está pautada nas verdades absolutas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pedir perdão em vez de pedir desculpas

Pedir desculpas é bíblico? Não! Pedir desculpas não resolve completamente a ofensa, pois duas pessoas podem sair de uma conversa sem sab...