quarta-feira, 27 de julho de 2016

O DEUS YAHWEH É O SENHOR DE TODAS AS NAÇÕES

Quando Abraão foi chamado por Deus para deixar sua terra idólatra ele recebeu promessas maravilhosas, promessas essas que se estendem até hoje para nós cristãos. Deus declarou que todas as nações deveriam se abençoadas por meio dele. O verbo “abençoar” implica tanto uma ação reflexiva quanto passiva do verbo (Gn 12:1-3; 28:14). Israel deveria ser um canal de benção para as outras nações e elas deveriam considerar Israel como modelo para que fossem abençoados. Assim como uma candeia deve ser colocada em lugar alto para que sua luz brilhe, o povo de Deus estava no monte Sião para brilhar sobre as nações e abençoá-las.

Aqueles que abençoassem Abraão seriam abençoados e aqueles que não o reconhecesse como um servo modelo, escolhido por Deus e viessem amaldiçoa-lo esses também seriam amaldiçoadas. O castigo que muitas nações sofreram foi por causa de sua rejeição a Deus.

O Senhor havia garantido a Abraão que a maldição sobreviria àqueles que ridicularizassem, rejeitassem e se opusessem à sua descendência.
Israel não deveria seguir os costumes das nações ao seu redor, pois ela era uma nação santa, separada. O problema é que Israel se misturou com outras nações, realizando casamentos e vivendo em paz com elas. Deixaram de ser modelo, e seguiram seus deuses pagãos. Deus usou as nações vizinhas para disciplinar Israel, porém, estas nações também violaram os três mandatos criacionais do Senhor. O Mandato Cultural, Social e Espiritual (Veja aqui o significado detalhado destes mandatos).

O Mandato Espiritual tem a ver com o relacionamento que Deus estabeleceu com o homem.
O mandato Social é referente ao casamento e família.
O mandato Cultural é a ordem que Deus estabeleceu para o homem dominar e cultivar a terra, o trabalho (Gn 1:28; 2:17).

As nações do mundo hoje têm desprezado os mandatos social e espiritual, mas ao exercerem o cultural, elas violam também este mandato ao negar Deus como Rei no universo.

A França hoje tem sido o país que mais tem sofrido com ataques terroristas. E qual foi o lema principal da revolução Francesa em 1.789, uma das raízes do modernismo? “Nenhum Deus, Nenhum Senhor”. Uma nação que declarou explicitamente que não queria se relacionar com o Deus Yahweh (Mandato Espiritual).

A Assíria, no Antigo Testamento era uma nação de origem semítica. Sua capital era Nínive. A Assíria foi o agente de Deus para castigar Israel, porém, eles foram além daquilo que Deus havia requerido deles (Is 10:5,12). Eles trataram o povo de Deus de forma desumana. Homens eram açoitados na presença de seus filhos, olhos eram arrancados, ganchos eram colocados no nariz e amarrados com cordões finos a uma corda mais grossa. Este era o método assírio de tratar seus cativos. Parece nos lembrar de uma “nação” que hoje que tem tratado de forma cruel seus prisioneiros, principalmente cristãos, o Islamismo. É por isso que o profeta Jonas não desejava que os assírios se arrependessem.

A Assíria do pondo de vista cultural, era uma nação desenvolvida.
A questão é que, do ponto de vista cultural vemos muitas nações desenvolvidas hoje, porém, estão se desenvolvendo longe da presença do Deus vivo e verdadeiro. Do pondo de vista social, vemos que as famílias estão para se acabar devido a inversão de valores das sociedades do mundo. E do ponto de vista espiritual vemos países que se declaram cristãos, porém, ainda continuam a adorar seus ídolos e imagens de escultura e ao mesmo tempo dizem adorar ao Senhor, como é o caso do Brasil. Essa religiosidade retêm a preeminência de Cristo e divide sua glória com falsos deuses feitos por mãos humanas.

Esse método custou caro para Israel. Exatamente a Assíria foi a nação que Deus usou para disciplinar seu povo. Por causa de seu culto misto, esse povo também se tornou uma raça mista. Foram deportados, e logo em seguida a Assíria trouxe para Samaria outros povos de diversas etnias (2 Reis 17).

Foi Deus quem levantou as nações para serem suas servas, Ele não as deixará impunes por suas idolatrias, imoralidade, cobiça e seus atos perversos e impiedosos de caráter militar, social e cultural. Serão disciplinadas com rigor. Mas, seu plano redentor inclui essas nações. Cidadãos de todos os países sobre os quais o Senhor levou seus profetas no Antigo Testamento como: Arã, Arábia, Etiópia e Pute, Egito, Tiro, Assíria, Elão, Babilônia, Pérsia-Média e Grécia, e ainda tem levado por meio de sua igreja hoje, serão unidas para adorar ao único Deus vivo e verdadeiro.
Estamos aqui para ser um canal de benção, e não maldição! Que a luz de Cristo brilhe por meio de nós as pessoas ao nosso redor.

“Muitas nações virão, dizendo: "Venham, subamos ao monte do Senhor, ao templo do Deus de Jacó. Ele nos ensinará os seus caminhos, para que andemos nas suas veredas". Pois a lei virá de Sião, a palavra do Senhor, de Jerusalém. Ele julgará entre muitos povos e resolverá contendas entre nações poderosas e distantes. Das suas espadas, farão arados, e das suas lanças, foices. Nenhuma nação erguerá a espada contra outra, e não aprenderão mais a guerra”
(Miquéias 4:2,3; Is 2:3,4)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pedir perdão em vez de pedir desculpas

Pedir desculpas é bíblico? Não! Pedir desculpas não resolve completamente a ofensa, pois duas pessoas podem sair de uma conversa sem sab...